Monthly Archives: November 2013

The View from…

Não basta ser só o baterista. Matt Helders, baterista do Arctic Monkeys, tem uma série de vídeos no canal do grupo no Youtube onde registra os bastidores da banda, gravações, shows e coisas da sua vida pessoal – como ir cortar o cabelo ou ir no spa. Na verdade o resto da banda aparece bastante também, mas ele rouba a cena fácil, como se fosse um apresentador.

Matt é o engraçadinho e consegue captar momentos bem legais – um cover de Pokerface ou ele e Alex Turner cantando “Tears In Heaven”, por exemplo. Outro fator legal de “The View From” é ser um dos poucos registros dos bastidores da banda longe do peso do hype ou das entrevistas com a timidez forçada. 

Não é novidade, a série de vídeos já tem uma ano, mas vale ver.

Mais vídeos aqui.

Falando do que eu não conheço: Mario Vargas Llosa

                                     

Mario Vargas Llosa ganhou na quinta-feira passada o Nobel de Literatura pelo conjunto de sua obra. Como premiação levou para casa mais ou menos uma quantia que equivale a três milhões de reais. 

Logo que o anuncio foi dado surgiram, como sempre, diversos leitores de Llosa no Twitter. Alguns falsos, alguns verdadeiros, mas sempre é de se estranhar o grande número de pessoas que nunca citaram o autor se declarem fãs repentinamente. Tudo bem, não é porque você está calado que não tem opinião, mas que deixa a gente desconfiado com tanto silêncio, isso deixa. Eu nunca li uma linha dele, tenho que admitir sem orgulho. Defeito sério. 

Entre os tantos tweets sobre o escritor me chamou atenção o que comentava a injustiça da premiação do escritor ser muito semelhante ao do próximo vencedor do reality show “A Fazenda”. Sério mesmo? Será mesmo tão injusto? O próprio Llosa já acha injusto que ele ganhasse o Nobel. E o Borges que nunca foi reconhecido. O Kafka, o Proust.

Como comparar um Nobel com um programa de TV?

Esquisito demais. É uma idéia estranha pensar que a premiação vale tanto quanto o trabalho. Mais estranho é notar que a maioria realmente parece se interessar mais no reconhecimento do que no fazer. Não importa se é Nobel ou reality show, parecem querer só um troféu qualquer para chamar de seu. E o que você fez para ganhar isso? Dane-se também.

Acredito em outras coisas, outros valores. O trabalho é o mais importante – e essa é uma lição que tirei do Woddy Allen. Se não existe prazer no processo pode esquecer, não é a bajulação posterior que resolverá seu problema. É como o Emicida diz em seu novo disco na faixa “Velhos Amigos” – “Pois swatch não tem valor, tem preço”.

Não existe injustiça com Llosa, seu Nobel e seu dinheiro. O valor da premiação é alto o suficiente e no fundo o interessa para Llosa e para seus leitores é sua obra. Ele nunca saberá o que foi a Fazenda e vice-versa. Bom para os dois.

Paulinho 54

“The Long And Winding Road”

Difícil escolher uma versão ao vivo dessa, que é tão presente quanto “Hey Jude” no repertório.

Escolhi a que considero mais especial. McCartney é pego de surpressa por cartazes de sua produção na primeira fila e fica emocionado logo no começo da música. Emoção que sobra por toda a interpretação. Linda versão. 

Ringo manda a real.

Na véspera do que seria o aniversário de 70 anos de John Lennon, Ringo manda a real sobre a composição de “Imagine”. 

O “Ringo Rembers” são esquetes do Peter Serafinowics que aconteciam no seu programa na BBC 2, fácil de encontar no Youtube. Seu show foi cancelado em 2008, mas o próprio Peter respostou isso hoje no seu twitter, @serafinowicz.

Eu vi por causa de um RT do @seufelipe.

The Music Of Lennon e McCartney.

Essa versão de “Yesterday” vem do especial da BBC TV Granada feito em 65 para obra de Lennon e McCartney, em homenagem precoce e justa. No programa, uma série de artistas fazem versões para canções da dupla. É impressionante o número de covers que já existiam e em diversas línguas. 

Algumas coisas soam bem bizarras, mas o especial vale especialmente pela dupla Paul e John apresentando e fazendo um monte de boas piadas, com aquela verve do “Hard Day’s Night”. 

É nesse programa que Peter Sellers recita “Hard Day’s Night”.

Quem gosta do humor inglês tem que ver.