OEsquema

#será?

Uma das grandes contribuições da série Harry Potter (que acompanhei nos filmes) à cultura pop é justamente um certo compromisso com a realidade, com o cotidiano, com os problemas mundanos. Sim, você leu direito: a série que botou a magia na pauta mundial também retorceu o próprio conceito de magia, associado, por anos, ao universo Disney, a um certo escapismo americano clássico. No universo Potter, a magia não é escapista, mas quase um catalisador para se lidar com questões de base: amor, amizade, abandono, traição, paternidade & maternidade, educação, valores humanos e, claro, a morte, o fim, a impermanência, sublinhados no slogan de encerramento. Faz todo sentido do mundo que a série TERMINE, porque, enfim, como somos lembrados repetidamente ao longo de toda a saga… tudo é uma fase, tudo termina.

A única coisa que talvez seja questionável no slogan “tudo termina” é o futuro da série como produto cultural. Pensando em quanto a indústria do entretenimento espreme suas franquias ao máximo, pensando na paixão dos fãs, pensando no atual estado (avançado) de produção de conteúdo por aficionados (e sua participação no hoje célebre conceito de transmedia storytelling), lembrando que o George Lucas abriu precedentes perigosos com a retomada do Star Wars alguns anos atrás… é de se perguntar se tudo vai terminar mesmo…. se alguém tem realmente controle pra dizer quando Harry Potter vai ou se vai mesmo “terminar”.

Veremos.

***

Aproveito a oportunidade pra ser oportunista e resgatar os posts Harry Potter Vai Chutar a Sua Bunda e Harry Potter Não Vai Chutar a Sua Bunda. Obrigado.

1 Comentário
por: Gustavo Mini tags: , ,

1 Comentário

Comentário por jonny
20 de novembro de 2011 às 9h10

gosto muito dos filmes de harry potter mas que tragédia que a saga terminou…meu desejo é de conhecer daniel radclife

Responder

Deixe um comentário