Acho sacanagem que a gente saia por aí e tenha uma porção de regras de etiqueta pra atender e os vendedores de lojas, essas criaturas peculiares que ficam sorridentes, à espreita atrás das gôndolas esperando pela presa pelo cliente, não tenham que seguir nenhum estatuto. Me proponho, portanto, a formular uma série básica de leis para os vendedores de lojas:

1. Não falar com o cliente nada além de 'Boa tarde, estou à disposição' a não ser que seja requisitado;

2. Não oferecer nada ao cliente que não lhe foi pedido;

3. Em caso de dúvida sobre como proceder com determinado cliente, confira as regras 1 e 2.

Esses três mandamentos praticamente contemplam toda e qualquer situação constrangedora pela qual o consumidor passa com vendedores em loja. Inclui ser abordado de maneira passivamente-agressiva enquanto olha uma vitrine (O SENHOR GOSTARIA DE ESTAR ENTRANDO PRÁ TAR DANDO UMA OLHADA NESSAS PEÇA?), ter que calçar oito pares de tênis em cores e modelos semelhantes porém diferentes daquele que você pediu e receber aquela opinião sincera sobre a roupa que você está provando.

"Ah, e não, eu não quero tá dando uma olhada em nada pra minha mãe, meu pai ou meu namorado. Não tenho namorado, sou um desastre com homens. E meus pais morreram quando eu tinha 8 anos."

Falando em sinceridade, tem uma perfumaria aqui em Santo André que aparentemente incentiva issso nas vendedoras. Ou a intimidação, não sei. É um lugar bem grande, que vende todo tipo de cosméticos. Vou lá mais ou menos uma vez a cada 45 dias, pra repor shampoo e condicionador, além de hidratante pro corpo e essas coisas de mulherzinha. Há um ano e meio que uso o mesmo shampoo, um pra cabelos lisos que tem me deixado muito feliz. Entrei, coloquei dois frascos na cestinha e fui interceptado por uma alegre PROMOTORA DE VENDAS:

COLABORADORA: Amiga, posso tár te oferecendo um shampoo melhor? Porque assim, não é que esse shampoo que você tá levando é ruim, mas ele não tem vitamina. Esse aqui ó, tá super em conta e tem vitaminas A, B e D, 30 nutrientes, protetor solar, reparador de pontas duplas e silicone.

EU: Oi? HEH. Não é por nada moça, MUITO OBRIGADA, mas a verdade é que eu não sinto que tô assim precisando de todas essas coisas, sabe?

COLABORADORA: Olha, não tá mesmo, porque seu cabelo é bom sabe? Mas assim, você que tem assim um corte fashion, descolado assim, moderno, precisa tár hidratando seu cabelo.

EU: Obrigada moça, mas hoje vou ficar com o de sempre.

Daí me desvencilhei do ATAQUE daquela que me julgava amiga dela, pois assim me chamou durante todo o diálogo, além de elogiar meu cabelo (senti uma inveja ok) e contornei outra gôndola atrás de um gel da Nivea. Procurei outra vendedora e antes que eu pudesse perguntar sobre o gel, ela bradou indignada:

COLABORADORA II: Olha amiga, esse shampoo na sua cesta não é pra você não, né?

EU (num mundo divertido): Claro que não! É PRA VOCÊ, GOSTARIA DE PRESENTEÁ-LA!

EU (no mundo real do que aconteceu de verdade): Humm... é...?

COLABORADORA II: Olha, desculpa mas a minha função como vendedora é tá te informando sobre isso, e esse shampoo vai acabar com o seu cabelo.

EU: Veja só, a moça ali já me falou tudo sobre...

COLABORADORA II: Não, vai estragar tudo o seu cabelo. Porque seu cabelo é bom, mas é oleoso na raiz e seco nas pontas né?

EU (assustada): Hum, mas moça, tenho usado esse shampoo por mais de um ano.

COLABORADORA II: Esse shampoo vai acabar com seu cabelo. Ele vai estar entupindo seus bulbos capilares a longo prazo, sabe? Olha, eu sou cabeleireira, então aqui meu dever é tá instruindo tá amiga? E vai entupir seus bulbo capilares e aí seu cabelo vai tá caindo. E quando você for no médico, ele vai dizer "por que não tratou antes"?

EU: ...

COLABORADORA II: O que você tem que levar é esse aqui, ó (e me mostra um tubo com 100ml a menos que o shampoo que eu tinha pegado, mas que custava 5 vezes mais). Esse aqui vai hidratar seu cabelo, olha aqui, é pra quem tem cabelo oleoso na raiz e seco nas pontas.

Agora eu te pergunto, leitor. O que você faria no meu lugar? Ignoraria o SEGUNDO alerta, já se imaginando tão careca quanto a Britney Spears quando raspou a cabeça? Você certamente não faria isso, leitor. Até porque, nesse ritmo quando até você chegar no caixa seria interpelado por pelo menos mais três dessas. E se você insistisse no shampoo de má qualidade, provavelmente a mulher no caixa não deixaria você levar.

britney
"Passei dois anos usando shampoo barato.
"

Como toda pessoa temente a promotoras de vendas obcecadas, levei o shampoo sugerido. Gastei um montão de dinheiro a mais. Se funciona? Sim, meu cabelo parece menos oleoso, ainda que não seja nada marcante, que vá mudar minha vida. Mas preferi não desafiar a gangue uniformizada das vendedoras agressivas.