• Precisamos falar sobre drogas

    Passados mais de 40 anos desde a declaração da Guerra às Drogas – feita em 1971 pelo presidente americano Richard Nixon e logo disseminada por todos os países -, já passou da hora de avaliarmos a eficiência e a eficácia das políticas que temos adotado em relação às drogas ilícitas. Como qualquer política pública de […] >
  • O fim da Guerra às Drogas começa em seu berço

       Foto de getty images “Essas eleições foram extraordinárias para os movimentos de reforma do sistema penal e de regulamentação da maconha” disse Ethan Nadelmann, diretor executivo da Drug Policy Alliance, hoje cedo pela manhã, mesmo antes de saber que eleitores do Alaska também escolheriam legalizar a droga. Além deles, eleitores do Oregon e de […] >
  • O que os principais candidatos à presidência falam sobre políticas de drogas?

    A reforma das leis sobre drogas é assunto em pauta nos Estados Unidos, América Latina e Europa. Especialistas de diversas áreas estão se unindo com o objetivo de ampliar a discussão sobre novas estratégias para lidar com a produção e consumo de substâncias ilícitas em nível global. Em tempos de eleições, a Rede Pense Livre – uma das principais lideranças brasileiras a propor um debate amplo e qualificado sobre uma política de drogas que funcione -, lança um quadro que sintetiza os discursos dos candidatos à presidência e seus programas de governo para tratar do tema. De acordo com a análise, faltam propostas inovadoras e eficazes, apesar do Brasil ter uma das maiores taxas de consumo de drogas, tráfico e violência do mundo.

     

    “É um tema polêmico nas eleições, principalmente por colocar em cheque muitas alianças políticas que são contrárias a propostas mais inovadoras. O debate está muito polarizado. Ora oscila para a regulamentação total de todas drogas, ora para a proibição completa. Contudo, existe uma série de alternativas intermediárias que não são contempladas pelos candidatos, seja por desconhecimento ou para evitar polêmicas nesse período. Para preservar as alianças políticas os candidatos preferem se abster ao debate”, analisa Alessandra Oberling, antropóloga e coordenadora da Rede Pense Livre. “Apenas os candidatos com menos chances buscaram pautar o tema no debate através de propostas mais inovadoras”.

     

    O documento elaborado pela Rede Pense Livre analisa as propostas de governo dos candidatos Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB), Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV). São seis categorias: descriminalização do consumo de drogas; saúde pública e redução de danos; prevenção ao consumo de drogas; cannabis medicinal e pesquisas médicas e científicas com todas as drogas ilegais; políticas para a juventude em risco e egressos do sistema penitenciário; e penas alternativas e justiça criminal.

     

    A análise dos programas dos presidenciáveis faz parte da estratégia da Pense Livre para colocar a política de drogas na pauta dos candidatos às eleições 2014. Em agosto, a Rede lançou o documento Propostas para uma Política sobre Drogasagenda positiva para eleições 2014, distribuído para mais de 1500 futuros governantes e parlamentares tanto federais como estaduais, além de diretórios políticos e Deputados e Senadores em exercício.  Além da agenda positiva também foram enviados os panfletos: 10 razões para mudar a política atual sobre drogas no Brasil.

     

    O foco em uma abordagem de saúde pública para o uso de drogas,  regulamentação do uso medicinal e do autocultivo da cannabis para consumo pessoal, investimento em programas para jovens em risco, fim da criminalização do consumo de drogas, penas alternativas para réus primários não violentos, e o incentivo à pesquisa são alguns dos pontos tratados em profundidade nos documentos.

     

    Confira o conteúdo completo das publicações:

     

    10 razões para mudar a política atual sobre drogas no Brasil

    Propostas para uma Política sobre Drogasagenda positiva para eleições 2014

  • Rede Pense Livre rebate declarações equivocadas de candidatos ao Governo do Estado Rio de Janeiro

    Recentemente, dois candidatos ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB – RJ) e Anthony Garotinho (PR – RJ), deram declarações equivocadas sobre política de drogas no Brasil e no mundo. A Rede Pense Livre busca ampliar e qualificar o debate sobre o tema, por isso, respondeu aos dois candidatos sobre suas […] >
  • Líderes mundiais clamam pelo fim da criminalização do uso e posse de drogas e pela regulação responsável de substâncias psicoativas

    Ex-presidentes do Brasil, Chile, Colômbia, México, Polônia, Portugal e Suíça se unem a Kofi Annan, Richard Branson, George Shultz, Paul Volcker e outros e apresentam novas recomendações para uma ampla mudança de paradigma na política global proibicionista a fim de influenciar reunião da ONU sobre drogas em 2016 Nova York (EUA), 9 de setembro de […] >
  • Líderes mundiais apresentam propostas contundentes pedindo profunda mudança de paradigma na política global sobre drogas

    Kofi Annan, Fernando Henrique Cardoso, Richard Branson e ex-presidentes da Suíça, México, Colômbia, Portugal, Chile e Polônia se unem em chamado à comunidade internacional

    Transmissão ao vivo pela internet da coletiva de imprensa:
    Terça, dia 9/9, as 10h (hora local) – 11h (hora de Brasília)

    Na terça-feira, dia 9 de setembro, a Comissão Global de Política sobre Drogas (GCDP) vai lançar Sob controle: caminhos para políticas de drogas que funcionam (Taking Control: Pathways to Drug Policies that Work), um relatório inédito em conferência de imprensa em Nova York.

    O evento será transmitido ao vivo pela internet e participantes incluem o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (que preside a GCDP), os ex-presidentes Ernesto Zedillo (México), César Gaviria (Colômbia), Ruth Dreifuss (Suíça), Jorge Sampaio (Portugal), o megaempresário Richard Branson e outros.

    Após o lançamento, na tarde do dia 9, os membros da Comissão se reunirão com Ban Ki-Moon, Secretário-Geral da ONU.

    Sob controle reflete o progresso nas opiniões dos membros da Comissão, que vem se tornando o mais distinto grupo de lideranças internacionais a pedir mudanças abrangentes ao regime global de drogas.

    Em 2011, o primeiro estudo http://www.globalcommissionondrugs.org/wp-content/themes/gcdp_v1/pdf/Global_Commission_Report_Portuguese.pdf
    apresentado pela GCDP quebrou tabus e ajudou a globalizar o debate sobre o fracasso da proibição das drogas e suas alternativas. O trabalho da Comissão Global criou condições políticas para que não apenas ex-presidentes, mas atuais chefes de Estado pudessem demonstrar suas insatisfações com o atual regime de drogas.

    Acontecimentos recentes na América Latina e nos Estados Unidos em política de drogas instigaram o agendamento da Sessão Especial da Assembléia Geral da ONU sobre Drogas (UNGASS) em 2016, abrindo uma oportunidade para redefinir os parâmetros de um novo sistema internacional de controle de drogas para o século 21.

    Membros da Comissão Global de Política sobre Drogas
    (porta-vozes que participam da coletiva dia 9/9 em NY destacados em vermelho):

    Kofi Annan
    Presidente da Fundação Kofi Annan e ex-Secretário-Geral das Nações Unidas, Gana

    Louise Arbour
    ex-Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Canadá

    Pavel Bém
    ex-Prefeito de Praga, República Checa

    Richard Branson
    empresário, defensor de causas sociais, fundador do Virgin Group, cofundador dos The Elders, Reino Unido

    Fernando Henrique Cardoso
    ex-Presidente do Brasil (Presidente)

    Maria Cattaui
    ex-Secretária-Geral da Câmara de Comércio Internacional, Suíça

    Ruth Dreifuss
    ex-Ministra dos Assuntos Sociais e ex-Presidente da Suíça

    Cesar Gaviria
    ex-Presidente da Colômbia

    Asma Jahangir
    ativista pelos direitos humanos, ex-Relatora Especial da ONU sobre Execuções Extrajudiciais, Sumárias ou Arbitrárias, Paquistão

    Michel Kazatchkine
    enviado especial do Secretário-Geral da ONU para HIV/AIDS na Europa Oriental e Ásia Central e ex-Diretor Executivo do Fundo Global contra AIDS, Tuberculose e Malária, França

    Aleksander Kwasniewski
    ex-Presidente da Polônia

    Ricardo Lagos
    ex-Presidente do Chile

    George Papandreou
    ex-Primeiro-Ministro da Grécia

    Jorge Sampaio
    ex-Presidente de Portugal

    George Shultz
    Ex-Secretário de Estado, Estados Unidos
    (Presidente Honorário)

    Javier Solana
    ex-Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Espanha

    Thorvald Stoltenberg
    ex-Ministro das Relações Exteriores e Alto Comissário da ONU para Refugiados, Noruega

    Mario Vargas Llosa
    escritor e intelectual, Peru

    Paul Volcker
    ex-Presidente da Reserva Federal dos EUA e do Conselho de Recuperação Econômica, Estados Unidos

    John Whitehead
    ex-Secretário de Estado adjunto, ex-Copresidente da Goldman Sachs & Co., Presidente Fundador do Memorial & Museu 9/11.

    Ernesto Zedillo
    ex-Presidente do México

  • Rede Pense Livre apresenta Agenda Positiva para Eleições

    A Rede Pense Livre, grupo com quase 80 jovens lideranças engajadas em promover um debate amplo e qualificado sobre uma Política de Drogas que funcione, lançou nesta manhã, em reunião com a imprensa, o documento “Propostas para uma Política sobre Drogas – agenda positiva para eleições 2014“. A reunião contou com sete membros da Rede […] >
/ Pense Livre
A Rede Pense Livre tem natureza independente e apartidária, e nasce da premissa que a política sobre drogas é uma questão central para o desenvolvimento humano, social e econômico do Brasil.
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit