• Vácuo Eleitoral

    Rafucko, em parceria com a Pública, mandando a real lá do espaço.

  • Mudando as regras do jogo (ou “É pra isso que a imprensa existe, né?”)

    Na terça-feira passada Xico Sá anunciou que estava deixando a Folha. No twitter, fez diversas acusações ao jornal e se mostrou insatisfeito com a tentativa do mesmo de o impedir de declarar na sua coluna (na área de Esportes) seu voto em Dilma. Ofereceram outra parte do jornal para tal – ele recusou. Sua colega […] >
  • Eyes of Hitchcock

  • Microtopia

    Enquanto milhões de pessoas competem por espaço nos centro urbanos, algumas seguem na contra-mão buscando justamente maneiras de reduzir suas posses e, consequentemente, o tamanho de suas moradias. O documentário Microtopia apresenta soluções criativas encontradas por alguns “nômades modernos” para uma vida cada vez mais desvencilhada do sistema.

    While millions of people fight over space in urban centres, some go against the current in search of ways of reducing their possessions and, consequently, the size of their dwellings. Documentary Microtopia presents creative solutions developed by “modern nomads” for a life more and more “off-grid”.

    O diretor Jesper Wachtmeister mostra como arquitetos, artistas e cidadãos comuns dão vazão aos seus sonhos de abrigos portáteis e flexiveis. Unidos pelo lema “menos é mais”, eles provam que criatividade, beleza e conforto não têm nada a ver com tamanho.

    Director Jesper Wachtmeister shows how architects, artists and ordinary citizens shape their dreams of portable, flexible shelters. United by the moto “less is more”, they prove creativity, beauty and comfort are not a matter of size.

    O filme completo pode ser assistido no Vimeo on Demand
    The complete film is available on Vimeo on Demand

    KSPECIAL-MICROTOPIA-03_992 screenshot-2014-04-17-19-47-11 TINY_CU_00109

  • Beautiful Chemistry

    Em dia de ressaca política, algumas reações que não decepcionam nunca. “Beautiful Chemistry é um projeto colaborativo entre  o Institute of Advanced Technology na University of Science and Technology da China e Tsinghua University Press. O objetivo do projeto é de apresentar ao público a beleza da química através de mídia digital e tecnologia”.

    In a day of political hang-over, some reactions that never disappoint. Beautiful Chemistry is a project collaboration between the Institute of Advanced Technology at the University of Science and Technology of China and Tsinghua University Press. The goal of this project is to bring the beauty of chemistry to the general public through digital media and technology.

  • Sound Development City

    Vivian Caccuri, criadora de um projeto apaixonante sobre o qual já falei aqui antes, está no topo do mundo participando do programa Sound Development City, residência artística “sonora” itinerante cuja edição 2014 está rolando na Finlândia.

    Todos os participantes alimentam um Logbook onde é possivel sentir um gostinho da experiência aparentemente sensacional.

    Screen Shot 2014-09-18 at 17.19.27

    Pra matar as saudades das caminhadas, vale também uma viajada através dos seus posts no blog Camino Silencio.

    Vivian Caccuri, creator of a project I absolutely love and have mentioned here before, is currently taking part in the Sound Development City programme, an itinerant artistic residency whose 2014 expedition is taking place in Finland. The Logbook fed by all participants allows us to tap into the experience through their shared impressions. You can also travel a bit with Vivian’s posts in her blog Camino Silencio.

  • “How Strange, Innocence”

    After silence, that which comes nearest to expressing the inexpressible is music.
    A. Huxley

    11:00pm

    I hop on the Central Line in Leyton. For the first time in weeks I have music playing in my headphones once again (thank you Apple for rendering the ipod obsolete and making ebay a second-hand player heaven). Shuffle selects ‘Look Into The Air’, and I immediately obey, moving my eyes away from the tiny screen.

    Facing me is a beautiful cinnamon-skinned girl with dreadlocks tied up in a bunch. She sits upright in the middle of the empty row, knees pressed together, body leaning slightly forward, separated from the seat by a backpack whose straps she clutches tightly – arms crossed over her chest.

    As our eyes meet briefly, she smiles, but I only process it mid-turn as I was already shifting my gaze elsewhere. “Why?!” I ask myself. The power the non-physical connection of these little organs has over our bodies (and minds) never ceases to amaze me…

    Why did I look away so quickly? Would it be weird if we decided to just keep looking into each others’ eyes for the remainder of our journey? What does ‘weird’ even mean?

    I look at her, she smiles again.  I smile back.

    “How Strange, Innocence”

    Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música” A.Huxley

    23:00

    Eu entro na Central Line em Leyton. Pela primeira vez em semanas há música tocando no no meu fone novamente (obrigada Apple por tornar o ipod obsoleto transformando o ebay no paraíso dos mp3 players de segunda mão). O Shuffle escolhe ‘Look Into The Air’ (‘Olhe para o ar’), e eu imediatamente obedeço, tirando meus olhos da telinha.

    Na minha frente, uma linda menina com pele cor de canela e dreadlocks amarrados. Ela está sentada no meio da fileira vazia, joelhos colados, corpo levemente inclinado para frente, separada do encosto pela mochila cujas alças ela segura firmemente – braços cruzados sobre o peito.

    Quando nossos olhos se encontram por um breve momento, ela sorri, mas eu só processo depois, já virando a cabeça, olhos mirando outro canto.  ”Por quê?” eu me pergunto. Não canso de me espantar com o poder que a conexão não-física entre esses pequeno orgãos exerce sobre nossos corpos (e mentes)…

    Por que eu desviei o olhar tão rápido? Seria estranho se nós ficássemos olhando nos olhos uma da outra durante o resto da viagem? Aliás, o que significa “estranho”?

    Eu olho pra ela, ela sorri novamente. Eu sorrio de volta.

    “Que Estranha a Inocência” (tradução literal do nome do disco “How Strange, Innocence”)

     

     

/ Patchwork
Bem-vindos à minha colcha de retalhos!
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit