OEsquema

Millôr (1923-2012)

A morte do Chico Anysio já foi uma perda e tanto no meu âmbito pessoal (meu pai também nasceu em Maranguape, mesma cidade do Chico), mas a notícia da morte do Millôr me doeu mais ainda… Mais do que um dos maiores nomes do texto brasileiro (reduzi-lo ao humor é esquecer suas contribuições à tradução, ao teatro, ao jornalismo, à edição, à arte da entrevista, ao ensaio), Millôr faz parte do meu próprio panteão de mestres e exemplos a serem seguidos. Mas seu legado segue inabalável – e agora é hora de redescobrirem-no.

:~

7 Comentários
por: Alexandre Matias postado em: Brasil, Destaque, Imagem, Loki, Paranoia, Pop, Talagadas tags: ,

7 Comentários

Comentário por Ângelo Capozzoli
28 de março de 2012 às 12h04

Que merda! Sempre pensei que o Millôr fosse imortal. Como você disse o legado que ele deixa é inabalável. Dos grandes artistas e personagens do Brasil do século XX.

Responder

Comentário por japaOne
29 de março de 2012 às 0h00

Tipo isso mesmo!!

Responder

Comentário por Show No Mercy!
28 de março de 2012 às 13h13

Um brasileiro que fez e ainda fará diferença.
As águas de março estão devastadoras!

Responder

Pingback por Millôr Fernandes e o PapodeHomem | Papo de Homem – Lifestyle Magazine
28 de março de 2012 às 14h31

[...] lá no Trabalho Sujo a homenagem do Alexandre Matias ao Millôr e me apeteceu a curiosidade de ver um desenho que tem [...]

Comentário por mauro
28 de março de 2012 às 18h29

putz, que chato. lembro de ler fábulas fabulosas quando moleque, adorando cada palavra. até hoje leio e releio a biblia do caos, anotando as melhores frases.

Responder

Comentário por Bruno
28 de março de 2012 às 22h26

O século XX está acabando.

Responder

Pingback por Millôr vs Renato Russo | Bate Estaca
2 de abril de 2012 às 10h13

[...] dias pós-Millôr, como bem sugeriu o Matias, é hora de redescobrir seu [...]

Deixe um comentário