• Trailer: “20,000 Days on Earth”

    Então você assiste o trailer e pensa sobre o seguinte: esse filme é um documentário sobre o Nick Cave.

  • Trailer: “We Are The Best!”

    Toda inocência envolvida em começar uma banda.

  • Tim Maia, “I Don’t Know What To Do With Myself”

    Fala, síndico! Meu cantor favorito, tanto que até hoje não ouvi tudo que ele gravou, fico guardando pra sempre ter uma novidade.

    E tem essa versão com o Hyldon também:

  • Chet Faker e os patins

  • Transcultura #156: Tropicantesimo // Hit

    Texto da semana passada para “Transcultura”, coluna que publico todas as sextas no jornal O Globo.

    O transe tropica do DJ Fabrizio Mammarella
    por Bruno Natal

    Como o resultado de uma viagem imaginária e lisérgica por praias desertas, o recém-divulgado set “Tropicantesimo”, do produtor e DJ italiano Fabrizio Mammarella, disponível no Soundcloud do autor, traz batidas lentas e hipnóticas, percussões africanas e coros suaves, induzindo ao transe. A influência das batidas africanas vem sendo apontada como uma das novas tendências nas pistas de house. Apesar de afirmar que não segue tendências, Mammarella, um dos grandes nomes do chamado italo house, aponta outros produtores italianos que vêm se destacando pelo mundo e que também seguem esse caminho.

    — Há muita coisa nova indo nessa direção, especialmente entre produtores como Clap Clap, Go Dugong ou Populous — afirma ele, dono do selo Slow Motion, dedicado exclusivamente a artista italianos. — As músicas que fazem parte de “Tropicantesimo” são discos psicodélicos africanos que venho colecionando desde o início da minha carreira, há dez anos. Na verdade, as batidas africanas nunca deixaram de ser tendência.

    Segundo ele, o set, que tem quase duas horas de duração, foi montado para um festa de mesmo nome, que acontece na capital italiana.

    — É um evento bem conceitual, com instalações e performances num club chamado Fanfulla — explica Mammarella, que lança seu primeiro disco solo na semana que vem. — Uma equipe decora todo o lugar com galhos de árvores, flores, parreiras, o cheiro toma conta do lugar. É como caminhar num jardim no Rio. A cabine do DJ fica no centro da pista. A festa é sempre num domingo e começa com alguns sets mais lentos, antes do show em que dois cantores e um dançarino se apresentam ao som do que o Hugo Sanchez, DJ residente e criador da festa, estiver tocando.

    A referência ao Rio não vem por acaso. Mammarella já esteve na cidade três vezes, para tocar na festa Moo.

    — Gosto muito da festa, por todo cuidado com os detalhes e a seleção musical — diz ele. — Nas minhas idas ao Rio fui apresentado a comidas incríveis, além de lojas de discos e museus. Espero voltar logo.

    Tchequirau

    Parte de uma série de vídeos Pop Music Masterclass, da rede alemã 1Live, em que Chilly Gonzales disseca hits, o pianista canadense dá uma grande aula de produção, composição e arranjo para aqueles que buscam o sucesso radiofônico ao analisar “Shake It Off”, da Taylor Swift.

  • Doc: “Rio 50 Degrees: Carry on CaRIOca”

    Rio 50 graus, por Julian Temple (diretor inglês de filmes sobre Sex Pistols, Joe Strummer, Rolling Stones), em documentário sobre a cidade feito para exibição na TV inglesa na época da Copa 2014.

  • Aula de pop com Chilly Gonzales

    O pianista disseca o hit “Shake It Off” da Taylor Swift.

/ URBe
por Bruno Natal

Cultura digital, música, urbanidades, documentários e jornalismo.
Não foi exatamente assim que começou, lá em 2003, e ainda deve mudar muito. A graça é essa.

falaurbe [@] gmail.com
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit