• Baxter Dury, “Palm Trees”

    O filho do Ian Dury.

  • Hoje tem: Prêmio Multishow 2014

    Como já explicado por aqui, hoje é dia de ver o resultado da consultoria prestada junto com Dudu Fraga, Pedro Garcia e Alexandre Matias ganhar vida. O Prêmio Multishow 2014 tem transmissão a partir das 22h no Multishow (a premiação aos muitos indicados pelo Júri Especializado e pelo voto popular), no BIS (discussões do Super Júri, incluindo o resultado do Nova Canção) e no site (diversas coisas, como a Transmissão Zuera).

  • HONNE, “Warm On A Cold Night”

    Calorzinho chegando.

  • Trancultura #149: The Preatures // “Onda”

    Criatura Australiana
    The Preatures lança primeiro álbum com potencial hit
    por Bruno Natal

    O vocal faz uma contagem emulando uma espécie de metrônomo, a guitarra começa a frasear sobre um baixo disco e uma bateria de viradas new wave, cortados por riffs de timbragem country, abrindo os caminhos para um vocal feminino sossegado, quase blasé, levar a canção até o refrão e a pergunta que dá título à música: “Is this how you feel?” (“É assim que você se sente?”).

    A descrição não faz jus ao estrago causado pelo hit do The Preatures, com produção impecável, tudo brilhando e uma mixagem que não deixa nenhum som se atropelar. Mesmo a música (que ganhou remix da dupla de Los Angeles Classixx) não tendo a repercussão que um hit deveria ter, o potencial segue dormente.

    Agora “Is this how you feel?” ganha uma segunda chance, com o lançamento do primeiro disco cheio da banda. Originalmente parte de um dos dois EPs que saíram antes, a música foi incluída entre as dez escolhidas para formar “Blue planet eyes”. Mais que isso, apesar de ser apenas a terceira música na sequência, o disco soa como se tivesse sido pensado ao redor da faixa.

    A mistura de r&b, country, rock, disco, anos 80, via Kings of Leon, Lana Del Rey, Fleetwood Mac e Don Henley, levou a algumas comparações rasteiras com o Haim. No The Preatures, no entanto, em vez de três mulheres, há apenas uma. E é ela a maior estrela. Acompanhada por Gideon Bensen (guitarra/vocais), Jack Moffitt (guitarra), Thomas Champion (baixo) e Luke Davison (bateria), a performance da cantora e tecladista Isabella Manfredi é o centro da banda. No disco e ao vivo, como demonstrado num pequeno show durante o festival SxSW, em março deste ano, antes do lançamento do disco e de uma turnê oficial.

    A importância de Isabella fica ainda mais clara quando Gideon toma a frente e esfria as coisas. A banda deve ter ouvido bastante essa mesma crítica e absorvido bem, tanto que, se nos EPs Gideon dividia a quantidade de faixas com Isabella, no disco ele sumiu. É a bela Isabella (peço desculpas pelo terrível joguete de palavras, mas foi irresistível) quem leva a banda adiante.

    O disco tem outras boas como “Somebody’s talking”, “Cruel” ou a balada “Two tone melody”, mas nada tão bom quanto “Is this how you feel?”. Também, a tarefa era ingrata.

    Tchequirau

    Lançada pelo soul man brasileiro Cassiano no disco “Cuban Soul”, de 1976,“Onda” não precisa de remix. Ela balança sozinha e muito bem. Ainda assim, a dupla de Los Angeles Poolside se juntou aos brasileiros do Fatnotronic (formado por Gorky do Bonde do Rolê e Phillip A do Killer On The Dance Floor) para essa missão impossível, ainda que seja apenas um edit – e deu certo.

  • Novas Frequências 2014: programação completa

    Cada vez ficando maior,  a 4ª edicão do Novas Frequências durará duas semanas. Do dia 01 a 14 de dezembro o festival de música experimental conectada às novas tendências contemporâneas espalhará suas 33 atrações de 11 países diferentes em seis espaços do Rio.

    Para saber mais sobre os shows, performances, panoramas, oficinas, festas e discussões do Novas Frequências  confira as páginas com a programação e detalhes de cada um dos núcleos:  Oi Futuro Ipanema, Audio Rebel, Sérgio Porto, La Paz, POP e Casa Daros.

  • Tiga, “Bugatti”

    Um clipe simples e eficiente. A música ajuda.

  • Scorsese produz doc sobre o Greatful Dead

/ URBe
por Bruno Natal

Cultura digital, música, urbanidades, documentários e jornalismo.
Não foi exatamente assim que começou, lá em 2003, e ainda deve mudar muito. A graça é essa.

falaurbe [@] gmail.com
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit
Share with your friends










Submit